Orçamento Participativo de Cascais entrega duas viaturas aos bombeiros de Alcabideche
24 de julho de 2017

A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Alcabideche celebrou no dia 23 de julho, 90 anos ao serviço da comunidade e do país. Na cerimónia, esta corporação recebeu duas viaturas oferecidas pela Câmara Municipal de Cascais, no âmbito do Orçamento Participativo 2016. As viaturas receberam o nome de Ana Rita Abreu Pereira e Armando Martins Ricardo, na presença de familiares, numa homenagem póstuma a estes dois bombeiros que perderam a vida em serviço.
O quartel dos bombeiros encheu. O dia foi de celebração. Amigos, familiares e demais munícipes juntaram-se numa manhã de domingo para assinalar o aniversário da AHBV de Alcabideche. 
"Queria cumprimentar todas e todos os bombeiros, na pessoa da pequena Madalena [filha de Ana Rita Pereira]", realçou Carlos Carreiras, destacando o papel de “todos os homens e mulheres que estão ao nosso serviço. São neles e nelas que nós confiamos", salientou o presidente da Câmara de Cascais. “Toda a comunidade deve mostrar esse agradecimento e reconhecimento às suas associações de bombeiros”.
 
Presente na sessão solene, o vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses referiu que “o apoio que a Câmara de Cascais dá aos bombeiros do concelho é exemplar”. Rui Rama da Silva acrescentou que “o valor atribuído às associações de bombeiros é importante, mas vejo acima de tudo [no concelho de Cascais] uma lógica e uma cultura de parceria. Todos os apoios são bem aplicados, pensados e decididos em conjunto, o que faz de Cascais um concelho ímpar em todo o território nacional”.
 
A cerimónia começou com a revista à formatura pelo presidente da Câmara e a bênção de duas viaturas oferecidas pela Câmara de Cascais, no âmbito do Orçamento Participativo de Cascais 2016, num investimento da autarquia de 300 mil euros. No momento receberam ainda a benção do Padre José Paulo Machado, pároco de Alcabideche, três ambulâncias de transporte de doentes. 
 
“A comunidade também manifesta o seu apoio aos bombeiros ao votar nas propostas de Orçamento participativo”, salientou Carlos Carreiras, sublinhando que “essas propostas não retiram, de modo algum, os meios financeiros para outras propostas apresentadas porque a Câmara decidiu aumentar o valor destinado ao próprio Orçamento Participativo para que isso não aconteça. Os bombeiros servem sempre para unir.”
 
O Orçamento Participativo de Cascais foi também referido pelo vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses. “A Câmara substitui o Estado. Todo este investimento seria competência do Estado, que não o faz”, realçou Rui Rama da Silva, acrescentando ainda que “em Cascais não se cruzam os braços, não se fica à espera, não se chora sobre o leite derramado. Faz-se e concretiza-se”. 
 
“São veículos fundamentais para o nosso bom desempenho. Um veículo será para apoio a incêndios estruturais, ou seja, urbanos e industriais e o outro, além de industriais é um carro de “músculo” para fogos florestais”, explica José Palha, que apresentou a proposta dos dois veículos no OP 2016, e que é o Comandante da AHBV de Alcabideche. José Palha entrou para esta corporação há 43 anos, na altura com 14, e ainda hoje mantém os valores de vida transmitidos pelos bombeiros: “altruísmo e cidadania”.
 
Os mesmos valores que Ruben Silva, 10 anos, já apreendeu. “Quero ser bombeiro para ajudar pessoas, salvar vidas, apagar fogos e ajudar bombeiros quando estão em risco”, diz exibindo a sua farda já no final de uma manhã, que foi repleta de emoção com distinções de sócios e condecorações a bombeiros com vários anos ao serviço da população do concelho e sempre solidários com o resto do país. 

Ler artigo completo em: CÂMARA MUNICIPAL DE CASCAIS