Primeiro Orçamento Participativo Municipal do Sardoal recebeu seis propostas

O Município de Sardoal recebeu seis propostas de munícipes no âmbito do Orçamento Participativo Municipal, cujas candidaturas encerraram no mês de agosto. Com o propósito de incentivar o envolvimento cívico na gestão municipal, o município avançou este ano com o primeiro Orçamento Participativo, possibilitando aos munícipes de todo o território sardoalense a apresentação de propostas e ideias que visem contribuir para a melhoria da qualidade de vida no concelho.

Com um teto financeiro de 10.000,00€, o primeiro Orçamento Participativo de Sardoal recebeu seis candidaturas que correspondem a projetos nas diversas áreas da sociedade.

Na última sessão do executivo municipal, o vereador Pedro Rosa (PSD) registou “com agrado” entrada dos seis projetos, sublinhando que, numa primeira leitura, constatou que “não estão só focados em obra física, há também preocupação de diversificar os projetos que estão plasmados”.

O vereador deu conta de que as propostas vão ser agora submetidas à equipa técnica “que as irá analisar e decidir, em função dos dados, se têm condição ou não para virem a ser sujeitos a votação”.

“Isto implica também consultar todos os serviços que têm influência direta sobre os mesmos, pedir esclarecimentos, audiências prévias, é o tempo que este tipo de processo exige”, deu conta o vereador, que prevê que os projetos venham a votação “por altura de dezembro, segundo a calendarização que foi feita”.

Por parte do Partido Socialista, o vereador Pedro Duque congratulou o facto de terem surgido seis candidaturas, algo que “de alguma forma, preenche logo um dos objetivos principais, que era chamar as pessoas à participação cívica naquilo que são as decisões políticas”.

“Este projeto despertou o interesse da população, de forma diversificada, ainda bem que assim é. Ainda bem que é transversal aos vários setores de atividade. Congratulamo-nos pelo facto de ter respondido àquilo que efetivamente as populações pretendem que é passarem a ter também a possibilidade de tomarem parte ativa nas decisões políticas a tomar”, declarou o vereador socialista.

Notícia publicada no jornal Médio Tejo