JÁ SÃO CONHECIDAS AS FINALISTAS DA 6º EDIÇÃO DO PRÉMIO DE BOAS PRÁTICAS DE PARTICIPAÇÃO EM PORTUGAL

Encontra-se concluída a avaliação das candidaturas à 6ª edição do Prémio de Boas Práticas de Participação, uma iniciativa da Rede de Autarquias Participativas.
Foram rececionadas 29 práticas candidatas, tendo as mesmas sido analisadas por um júri constituído por três entidades, nomeadamente, a Comissão para a Cidadania e Igualdade - CIG, a Fundação Calouste Gulbenkian e o Observatório Internacional de Democracia Participativa.
A avaliação do júri teve por base um conjunto comum de critérios, entre os quais se destacam, para esta edição do prémio, os contributos das práticas para a promoção da participação de grupos tradicionalmente sub-representados.
As cinco melhor classificadas, que receberão, por isso, o selo de “Boa Prática Participativa”. Estas são: Grupo Ativo Comunitário e Fora da Caixa, ambas promovidas pelo Município de Torres Vedras; AEleva-te, da Câmara Municipal de Cascais; Orçamento Participativo Jovem, da União de Freguesias de Massamá e Monte Abraão (Sintra) e o MyPolis - Cidadania 4.0, da Câmara Municipal de Lagoa, Algarve. 
Estas são as iniciativas finalistas da 6ª edição do Prémio, pelo que passarão à fase de votação do público, que decorrerá entre 10 de maio e 11 de junho.
Cada uma destas etapas - avaliação do júri e votação pública - terá um peso de 50% na pontuação final dos candidatos. Está prevista a entrega de dois prémios, cabendo ao primeiro classificado a nomeação de melhor prática de democracia participativa em Portugal de 2017 a 2020 e ao segundo classificado uma menção honrosa. Conheça aqui os resultados completos da avaliação do Júri.