Já são conhecidos os projetos vencedores do Orçamento Participativo de Cascais 2021

Numa tarde de festa vivida em família no Auditório Nossa Sra. da Boa Nova, no Estoril, ficámos a conhecer os 22 projetos vencedores do OPCascais 2021 que representam um investimento municipal de 7 milhões de euros decidido diretamente pelos cidadãos.

Ao todo foram 108.288 votos submetidos por 54.188 votantes. Uma votação tão expressiva, sobretudo em tempo de pandemia e numa edição OP exclusivamente online, que a Câmara Municipal de Cascais quis corresponder com uma verba igualmente significativa.

“Mais de 45 milhões de euros, cerca de 200 projetos e 600 mil votos. Estes é um dos balanços do OP”, destacou Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais. “De todos os valores, o maior é o espírito da democracia participativa e colaborativa da população de Cascais. O povo já tomou posse do Orçamento Participativo. Parabéns Cascais. Parabéns a todos vós que tiveram um papel ativo”, concluiu.
Assim, todos os projetos que conseguiram ultrapassar a marca dos 2.000 votos foram considerados vencedores, pelo que a Câmara Municipal de Cascais alocou sete milhões de euros para concretizar 22 projetos propostos pelos cidadãos. Termina, assim, em festa mais uma etapa de um projeto de Democracia Participativa que é motivo de grande orgulho para a comunidade local, mas também exemplo a nível nacional, europeu e até no mundo.

Em 10 anos, somam-se já 198 projetos vencedores e 45 milhões de euros decididos pela Democracia Participativa em Cascais. Destes, 3,2 milhões de euros dizem respeito à concretização de projetos com origem em propostas do Orçamento Participativo Jovem, implementado em 2016 e que hoje mobiliza mais de 15.000 alunos a frequentar 15 escolas do concelho.

Carcavelos-Parede elege mais projetos vencedores
Este ano, a votação permitiu eleger um maior número de projetos na freguesia de Carcavelos-Parede, que conseguiu um total de sete projetos vencedores, aos quais se junta ainda um projeto inter-freguesias para Carcavelos-Parede e Cascais-Estoril, nomeadamente para a construção de torres de vigia na frente de mar desta zona do litoral concelhio. Na freguesia de Carcavelos-Parede situam-se, ainda, os projetos mais votados de todos: a aquisição de veículos para a Associação de Bombeiros Voluntários “Amadeu Duarte” (7.651 votos) e a construção da sede da AquaCarca, associação desportiva local (6.801 votos).

Na freguesia de Cascais-Estoril houve cinco projetos vencedores.

Em Alcabideche foram quatro os projetos a conquistar votos suficientes para passar à fase de concretização, número idêntico ao dos projetos transversais, ou seja, cuja concretização virá beneficiar todo o concelho.

Para a freguesia de S. Domingos de Rana, mais concretamente para Cabra Figa, foi apurado um projeto vencedor.

Equilíbrio em áreas de intervenção
Por áreas, o primeiro lugar do Top dos projetos mais votados este ano apresenta um empate em quatro áreas, todas com três projetos vencedores, demonstrando da parte dos participantes no processo do Orçamento Participativo de Cascais uma cada vez maior preocupação com o meio envolvente, com a sustentabilidade e com uma mobilidade cada vez mais amiga do ambiente:
- Segurança e Proteção Civil, embora continue a ser das mais votadas no âmbito do Orçamento Participativo de Cascais, contribuindo para colmatar as necessidades ainda sentidas pelas corporações de bombeiros, esta área inova este ano com dois projetos para vigilância: Torres de Vigia dos BV de Cascais e as Torres de Vigilância nas Praias de Parede e Carcavelos.

- Reabilitação de edifícios, Energias renováveis e Rede Pública viária e acessibilidade, onde sobressai o cuidado com as pessoas com mobilidade reduzida e a necessidade de alargar as vias cicláveis, em especial junto a escolas.

A criação de Salas de Inovação Educativa para as Escolas Básicas e Secundárias do concelho e equipamento para a escola da Alapraia, dão corpo aos dois projetos da área da Educação, formação e aprendizagem ao longo da vida.

Os restantes projetos, um por área, distribuem-se pela criação de um parque infantil e equipamento lúdico; construção de um equipamento recreativo; criação de um espaço verde; e ainda projetos nas áreas do desporto; economia circular, ação social, transporte e mobilidade suave e bem-estar animal.

Notícia publicada na página do OP Cascais.